Posts

AVÔ EMPREENDEDOR, AVÓ EMPREENDEDORA

João foi visitar os avós. Não estavam em casa, porém João cruzou com eles na esquina da rua:

— Oi vô, oi vó. Estão indo aonde?

–Oi neto querido, vamos comprar matéria-prima. Tivemos um aumento inesperado de pedidos este início de semana e o estoque de geleias não vai dar conta. Quer vir?

Fim da história. Mais um dia normal na vida de empreendedores.

Essa pode ser a sua história. Vô e vó possuem uma loja online de venda de geleias artesanais. Receitas secretas da vó. Vendem para todo o estado e só não expandiram regionalmente ainda porque estão aguardando a melhoria da logística de entrega, que por enquanto não anda lá muito confiável. E qualidade de produto, de atendimento e de entrega é tudo nesse negócio! O sistema de pagamento está joinha: o módulo integrado à loja funciona super bem e nunca tiveram reclamação alguma. Mas bom mesmo é publicar as fotos do processo de fabricação no Instagram! Cada comentário… Dá pra ver de longe a água na boca.

E você, quer empreender prazerosamente? Vem empreender e crescer! Feliz dia dos Avós!!

Tempo? Cada cliente tem o seu

Nunca temos tempo para nada. E seguimos nos atrasando. No mundo do empreendedorismo deixar o cliente esperando ou não cumprir o prazo prometido pode ser fatal!

Como tentamos resolver isso? Ou ignorando o problema (pior opção!), ou chamando mais gente para as tarefas, ou comprando softwares caríssimos de gestão (aumento de custos!), ou estendendo as horas de trabalho, varando madrugadas (olha a saúde indo para o brejo!), ou colocando em ordem o que é urgente e o que é importante (ordem de prioridade – é a melhor opção!).

Porém, aqueles que seguem o que chamamos aqui de melhor opção, às vezes esquecem que cada cliente tem o seu tempo. Organizamos os processos internos, fazendo cada serviço ou separando cada produto de acordo com o dia da compra ou fechamento do contrato. Poucas vezes levamos em consideração o tempo do cliente. O verdadeiro tempo do cliente. Clientes que efetivamente precisam do produto ou serviço antes, devem receber antes. Clientes que dependem de outras atividades/compras para que possam utilizar o seu produto ou serviço, devem receber depois. Cada caso é um caso.

Artesãos sabem muito bem perceber esse tempo do cliente. E colocam o prazo de entrega geralmente baseado nessa percepção. Entregam o mesmo produto/serviço em 2 ou 20 dias, dependendo do tempo do cliente. Enquanto isso, internamente, vão organizando seus processos de forma a concatenar a produção e entrega com o tempo percebido de cada cliente. Que tal seguirmos essa experiência de sucesso dos artesãos?

Na hora de definir o prazo de entrega, concentre-se no seu cliente, nas necessidades dele. Você vai identificar os que precisam em menos tempo do produto/serviço, os que precisam em um tempo mais estendido, os que dizem que precisam já, porém é claro que não, e também aqueles que dizem não ter pressa mas você percebe claramente que é melhor ele receber logo. E, se no caso do seu negócio, o número de clientes for alto demais, não permitindo essa individualização, crie grupos, classifique-os de acordo com a percepção de tempo percebida.

Experimente essa dica e veja como seus atrasos vão diminuir sensivelmente.